As instituições de saúde têm buscado agir de modo mais profissional, não só pensando no atendimento e no cuidado aos pacientes em si, mas também no que diz respeito aos processos de suporte que mantêm tudo funcionando no dia a dia. Mas, para alcançar esse objetivo, é fundamental compreender e investir na melhoria da gestão hospitalar.

Se você atua na administração de uma unidade de saúde, com certeza quer otimizar os seus recursos de modo a aumentar as margens de lucro sem deixar de lado a qualidade e a atenção dedicada aos usuários dos serviços, certo? Nesse artigo você verá mais informações sobre como a gestão hospitalar pode te ajudar nisso. Siga conosco!

Por que gerenciar é importante?

Em qualquer atividade ou ramo de negócio, à medida que a empresa se posiciona no mercado uma série de acontecimentos passa a fazer parte da rotina do empreendedor e dos seus colaboradores. Há diversos fatores que influenciam isso, e que devem ser considerados com cuidado para que as coisas possam dar certo.

O gerenciamento, portanto, envolve a organização, o planejamento e a execução de todas as atividades que precisam ser realizadas para que essa empresa consiga fazer aquilo a que se propôs. Seja produzir um carro, seja vender um hambúrguer, seja defender um cliente em um processo judicial ou prestar atendimento médico.

A Management Study Guide ressalta que uma administração eficiente ajuda a atingir as metas, dando as direções que devem ser seguidas por todos os que estão envolvidos nas operações. Além disso, está relacionada com a busca da eficiência: todo bom gestor trabalha para aumentar o faturamento e minimizar os custos, e há inúmeras ações que podem ser propostas nesse sentido.

Gerenciar envolve o conhecimento das alavancas que podem gerar receitas e diminuir despesas de forma inteligente — como eliminar desperdícios, por exemplo. Assim, uma instituição bem gerenciada adquire mais capacidade de mudança em situações de adversidades. Afinal, quando você tem domínio dos seus processos, incorporar as inovações necessárias fica, com certeza, bem mais fácil.

O que é a gestão hospitalar?

Assim como em qualquer outra empresa, um gestor que atua na área da saúde está preocupado em fazer com que o seu hospital seja lucrativo e sustentável, atendendo os pacientes com qualidade e bons índices de sucesso nos procedimentos.

Nesse sentido, a gestão hospitalar diz respeito desde a preocupação com a agilidade na etapa de cadastramento e admissão daqueles que chegam procurando por atendimento, passando por economizar na compra de medicamentos e outros insumos, até à garantia de que todos os usuários ficarão satisfeitos com os serviços que lhes foram oferecidos.

Até bem pouco tempo, havia uma associação quase que imediata de que, para melhorar o atendimento, o caminho passava apenas pela aquisição de tecnologia ligada diretamente à atividade médica. Houve, então, um período em que muitas instituições investiram pesado em equipamentos capazes de melhorar os diagnósticos e aumentar a confiabilidade das ações ao longo dos tratamentos.

Mas, pensando na unidade como um todo, há ainda outras formas de buscar o sucesso. Quando compreendemos a relevância do gerenciamento, começamos a entender que algumas ações pontuais e direcionadas podem ter resultados até mais efetivos na margem de lucro do que grandes investimentos. E a tecnologia também pode ser uma importante aliada nisso.

Contamos hoje com sistemas de apoio que nos ajudam a diminuir erros e que facilitam várias das atividades fundamentais no dia a dia da instituição. É o caso do agendamento de cirurgias, por exemplo, ou mesmo da gestão do quadro de funcionários.

Os papéis do gestor de saúde

Dentre as responsabilidades de um administrador de um hospital, talvez as principais delas estejam relacionadas ao estabelecimento de políticas e diretrizes para todos os processos do negócio.

Os colaboradores precisam saber o que devem fazer e quais são os níveis de expectativa que se tem sobre o trabalho deles. Cabe ao gestor, então, ajudar as coisas a acontecerem, seja fornecendo meios para que os profissionais possam executar suas atividades da melhor forma possível, seja investindo em treinamentos ou em ferramentas que otimizem suas rotinas.

Como destaca a pesquisadora Marie Carney (da School of Nursing da Irlanda), em seu paper: Influence of organizational culture on quality healthcare delivery, essa busca de qualidade e excelência no atendimento precisa ser implementada como uma cultura, e as ações para que isso seja efetivo também devem ser definidas pelo administrador-geral, em parceria com os responsáveis de cada área. Isso ajuda a garantir o cumprimento das rotinas, criando um clima positivo em que todos podem se engajar no sucesso do hospital.

Pensando em questões como suprimentos, recursos humanos, alocação de orçamentos, contatos com fornecedores e tudo o que está por trás do atendimento em si — ou seja, relacionado à administração do negócio — é o gestor hospitalar que deve direcionar a resolução dos problemas e atuar para que tudo ocorra conforme o esperado.

Ele é quem coordena os envolvidos diretamente no atendimento, como médicos, enfermeiros e técnicos auxiliares, para garantir a harmonia e a melhor utilização de cada um desses profissionais. Lembre-se de que as pessoas são os ativos mais relevantes em qualquer instituição, portanto, motivá-los e incentivá-los é essencial para melhorar a sua eficiência.

Quais são as vantagens dessa gestão?

A gestão hospitalar exige que muitas decisões sejam tomadas diariamente. Então, quando a instituição investe na profissionalização dessa gestão, diversos benefícios começam a ser percebidos ao longo do tempo, pois todo o processo se torna mais assertivo.

Ao adotar, por exemplo, um sistema de gerenciamento baseado em indicadores (também chamados KPIs), você passa a ter total noção do que precisa ser feito para melhorar os aspectos relacionados à utilização de cada recurso que você tem disponível. É possível, por exemplo, identificar onde estão as fugas de receita — como leitos ociosos ou pacientes que demoraram tempo demais para ser atendidos e que, provavelmente, não voltarão a procurar o seu hospital.

Um bom gerenciamento também permite entender o que está afetando o seu faturamento e o seu fluxo de caixa, bem como analisar quais são os principais gastos, possibilitando ações de redução de maneira mais estratégica, sem que haja prejuízo à qualidade dos serviços Sem contar que ele minimiza a ocorrência de erros e falhas, o que pode ter impacto significativo na redução do retrabalho e na percepção de valor observada pelos seus pacientes.

Enfim, ao se investir em melhorar os processos de gerenciamento, observa-se ganhos em todos os setores. Por tudo isso, como vimos, a gestão hospitalar é hoje imprescindível para qualquer instituição da área da saúde que pretende ser lucrativa e sustentável.

Então, gostou da leitura? Se este conteúdo foi interessante para você, compartilhe-o nas redes sociais para que os seus contatos também fiquem por dentro do assunto!

Powered by Rock Convert